sky-lights-space-dark

Então, de repente, começamos a observar o mundo e a vida com um novo olhar. Não há motivo, não há razão, mas constatamos que algo está diferente. Outras vezes, há motivos para iniciarmos esse novo olhar para a vida, seja por uma perda de alguém, seja pela perda financeira, seja por uma doença, seja por uma traição, ou seja por ter conseguido tudo na vida que o dinheiro possa oferecer também e a sensação de vazio que isso também traz, ou por outros motivos.

Começamos a observar o mundo ao redor de uma forma diferente, nos pegamos observando o movimento das pessoas nas ruas e seus comportamentos, os noticiários começam a trazer as mesmas notícias de sempre, começamos a ficar cansados das mesmices, das tristezas do mundo, da violência e da falta de compaixão, a corrupção, e a falta de respeito ao outro já incomodam demais.

A sensação é de que estamos nos desencaixando do mundo, as coisas parecem não fazer mais sentido, estamos cansados, as coisas e a vida começam a ficar sem perspectivas de futuro para nós. Começamos a querer mudar alguma coisa em nossas vidas, reconhecemos que o mundo está carente amor ao próximo, de compreensão.

A partir daqui, desse estágio, começa uma busca dentro nós mesmos. Muitos seguem para a religião, outros para a espiritualização, outros entram em depressão, outros desenvolvem doenças, e outros jogam tudo para o alto e mudam de vida, de casa, buscando um vida mais calma, longe de uma sociedade capitalista neurotizante.

Para você que está passando por isso, saiba que tudo faz parte da expansão da consciência. A ciência explica isso pelo fato de que a Terra está passando por um imenso cinturão de fótons. E esse fato nos leva a conclusão de que estamos naturalmente mudando e mudando o nosso olhar para o mundo e para vida.

O QUE TEMOS FEITO DEPOIS QUE DESPERTAMOS

De repente, começamos a busca em todos os sentidos, tanto para dentro quanto para fora. Às nossas mãos começam a chegar informações diferentes que nunca havíamos visto antes, porém são informações que existem a muito tempo e que nunca atentamos a elas. Tantas pessoas e tantos profissionais que estão trabalhando e falando sobre o que chamamos de “despertar”, então, começamos as nossas pesquisas: presente, passado, passado ancestral, futuro, civilizações, antropologia, astrologia, ciência pragmática e holística, física, química, biologia, geografia, história, etc. E, de repente, nos vemos até pesquisando planetas e constelações. Descobrimos que a física quântica comprovou que existem vidas além das existentes na Terra, que existem mais dimensões além desta em que vivemos. Tudo de uma vez, numa sede de conhecimento, como crianças querendo aprender, querendo descobrir cada vez mais, e rápido.

Tudo isso é mais do que normal. Estamos expandindo a consciência e o mundo do jeito que está ficou pequeno, todas as informações disponíveis que tivemos até agora se tornaram muito poucas.

PARA ONDE VAMOS ?

Estamos redescobrindo o mundo e a nós mesmos. Ao mesmo tempo que seguimos para fora, estamos seguindo para dentro.

A tendencia é reinventarmos a vida aqui na Terra, de forma que possamos conviver uns com os outros com respeito, amor e compaixão. Não cabe mais o poder sobre o outro ser, a ganância, a violência. Nossa nova consciência não suporta mais esse tipo de sentimento destrutivo que não esteja alinhado a natureza do Universo.

Nossa consciência se expandindo está revelando vários dispositivos existentes no nosso corpo que estavam desativados e não poderiam funcionar nas energias densas da 3D. Descobrimos que somos energia, que somos feitos de prótons, elétrons e nêutrons; ou estamos agora plenamente conscientes disso.

Passamos a valorizar o que a ciência oriental já explicava a mais de 5 mil anos, que temos centros energéticos em nossos corpos, os chakras, que estão diretamente ligados ao funcionamento dos nossos corpos. Esses chakras se movem como roldanas transmitindo e recebendo energias, e que também podem ficar bloqueados de acordo com os nossos sentimentos e emoções, influenciando diretamente nas causas das doenças psíquicas e somáticas. Descobrimos que esses mesmos chakras são capazes de formar um campo energético ao redor de nossos corpos, de tal forma que podemos formar um toro ou merkaba, que é capaz de nos transportar por outras dimensões, internamente, e que também pode ser tão capaz de nos transportar fisicamente.

A Medicina chinesa é muito mais do que acupuntura e muito menos misteriosa do que parece. Depois de milhares de anos, o Ocidente começa a descobrir os segredos do Yin e do Yang – a chave da saúde

Nesse sentido a ciência milenar do antigo Egito explica muito bem sobre esse fato de nos transportarmos através das dimensões quando explica a imortalidade do ser.

Descobrimos que a lógica do cérebro é falha, que existe algo além do racional e que o cérebro é apenas mais um componente consciente de algo maior que comanda toda a engrenagem do nosso ser. Descobrimos a nossa alma. Inclusive, descobrimos que a alma não está ligada a crenças e que ela existe em nós mesmos, e não em algum lugar longe do nosso alcance.

A humanidade tem um grande desafio à frente e será surpreendida pela suas próprias descobertas. Uma delas é que as crenças e religiões conhecidas devem ser reformuladas com o tempo, isso não quer dizer que deverão ser extintas, mas atualizadas para se alinharem a nossa nova consciência.

A tendência é descobrirmos o tão procurado “Elo Perdido” !

E que o “Elo Perdido” somos nós mesmos !

Sônia L. Pereira / Mostradores da Luz